quinta-feira, 3 de abril de 2014

2 Carteiristas Detidas

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da 1.ª Divisão Policial, hoje, pelas 11h00 no cruzamento entre a Rua Chão da Feira e a Travessa Chão da Feira, procedeu à detenção de duas mulheres de 20 e 32 anos de idade, pela prática do crime de furto (carteiristas).

Na sequência de inúmeras reclamações por parte de comerciantes, moradores e turistas que circulam pelas ruas da Baixa de Lisboa e atendendo ao crescente número de cidadãos outras nacionalidades, que se dedicam à prática do crime de furto pelo método de carteirista, foi mobilizada para a referida área uma equipa policial direcionada para a prevenção e repressão destes ilícitos.

Polícias que se encontravam ali de serviço, foram abordados por um cidadão a alertar que momentos antes ao circular nas imediações do Castelo de São Jorge verificou três suspeitos a deambularem pela Rua Chão da Feira com um comportamento fortemente suspeito, até pelo facto dos mesmos serem já conhecidos naquela zona por se dedicarem à prática reiterada de furtos a turistas. 

A testemunha ao aperceber-se da intenção dos suspeitos adotou uma postura vigilante sendo que alguns instantes depois vislumbrou uma das suspeitas a colocar-se na retaguarda de uma turista, enquanto que, os outros suspeitos, com o próprio corpo, tentavam dissimular a ação da primeira suspeita. Em ato seguido, os três suspeitos em plena conjugação de esforços acabaram por abrir a mochila que uma turista transportava às costas, retirando do seu interior uma carteira. 

Após a conclusão deste furto, os suspeitos ao aperceberem-se da abordagem da testemunha, de imediato encetaram fuga tendo, posteriormente sido intercetados pela PSP com o auxílio desta testemunha.

De salientar que apesar do terceiro suspeito não ter sido intercetado na altura dos acontecimentos, após a realização de diligências policiais foi o mesmo localizado numa pensão na freguesia de Arroios e transportado à subunidade policial, onde cumpridos os preceitos legais estabelecidos para efeito, foi reconhecido inequivocamente pela testemunha como um dos autores do ilícito perpetrado, pelo que foi constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência. 

À lesada foi explicado o sucedido e, apesar de se encontrar apenas de passagem pelo país, prontificou-se a exercer o seu direito de queixa, formalizando-se assim a detenção das suspeitas.

A prevenção e repressão deste tipo de crimes é uma prioridade para a Polícia de Segurança Pública, sendo que nos últimos meses tem sido reunidos esforços em sede de sensibilização e investigação criminal com vista a dirimir este fenómeno.

Congratulamo-nos com a realização de quatro detenções em dois dias pela prática deste tipo de crime.

As detidas foram notificadas para comparecer nos Juízos de Pequena Instância Criminal de Lisboa no decorrer do dia de hoje, a fim de serem ouvidas em 1º Interrogatório judicial e aplicação das respetivas medidas de coação.

Sem comentários:

Enviar um comentário